Pinturas de Modigliani ainda levantam questões

À medida que a Tate Modern em Londres se prepara para abrir uma coleção espetacular do trabalho do artista, uma triste recordação de telas falsas expostas na Itália no verão passado levanta questões.

Foi um grande ano para Amedeo Modigliani.


Pelo menos três exposições do pintor italiano e do trabalho do escultor estão em andamento ou estão prestes a abrir ao redor do mundo. Na cidade de Nova York, "Modigliani Unmasked" abriu no Museu Judaico em setembro, destacando os primeiros anos do artista em Paris, com especial ênfase em seus desenhos. Em São Petersburgo, na Rússia, "Modigliani, Soutine e Other Legends of Montparnasse", comissariada pelo especialista francês Marc Restellini, abre no renomado Museu Fabergé no final deste mês, apresentando 18 do que Restellini chama de obras "mais importantes" do artista.


Mas o maior show, de longe, é o da Tate Modern de Londres, que se abre em 23 de novembro. A exposição contará com 12 nudez Modigliani - a maior coleção de tais pinturas para aparecer no Reino Unido - que se mostrou tão controversa quando foram mostradas pela primeira vez Em Paris, há um século, este ano, que o policial acabou censurando a única exposição individual que o artista já desfrutou em sua vida.


Mas um incidente em Gênova no verão passado aparece em todas essas exposições como um pall.

Em julho, a polícia italiana fechou uma exposição no Palazzo Ducale, no norte da cidade, após as alegações de que até 21 das pinturas exibidas eram falsas.


De fato, na medida em que tem sido um grande ano para Modigliani, não foi apenas porque ele tem gostado de uma série de shows, mas sim porque ele se encontrou chateado no meio do mais recente escândalo de falsificação em larga escala para mundo da arte.

O especialista e colecionador de Pisa, Carlo Pepi, foi o primeiro a tocar o alarme.


"Em fevereiro, fui enviada uma imagem no Facebook de um dos nus reclináveis da exposição, que eu imediatamente reconheci como um falso", diz ele. "Então outra pintura apareceu on-line e eu vi que também era falso. Posteriormente, me mostraram o catálogo completo da exposição e percebi que havia poucas obras autênticas no show ".


Mesmo antes de ter visto o catálogo, Pepi tinha suscitado suspeitas sobre o show: o curador da exposição, Rudy Chiappini, tem sido associado ao polêmico estudioso de Modigliani, Christian Parisot, que afirma ter recebido o direito moral sobre o trabalho de Modigliani pelo artista filha antes da morte na década de 1980.



25 de outubro de 2020

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

Jornale: edson@jornale.com.br

             redacao@jornale.com.br

WhatsApp: (41) 8713-4418

Correio Paranaense / Jornal do Ônibus

comercial@jornaldoonibusdecuritiba.com.br

Tel. 41 3263-2002

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest