Poucos derrubaram Ali, Cooper foi um deles


Sir Henry Cooper viveu de 1934 a 2011, foi uma lenda do boxe peso-pesado inglês. Cooper manteve os títulos dos pesos pesados ​​britânicos, da Commonwealth e da Europa várias vezes ao longo de sua carreira e desafiou sem sucesso Muhammad Ali para o campeonato mundial de pesos pesados ​​em 1966.

Após a aposentadoria do esporte, Cooper continuou sua carreira como personalidade de televisão e rádio, ele foi o primeiro e é hoje uma das quatro pessoas a ter vencido duas vezes o voto público para o Prêmio BBC Sports Personality of the Year e, até agora, o único boxeador a ser premiado com um título de cavaleiro, na Inglaterra.

Seu Estilo

Embora Cooper fosse canhoto, ele usava a posição "ortodoxa", com a mão esquerda e o pé esquerdo para frente, em vez da postura invertida de "canhoto", que seria mais adequada para um boxeador canhoto. Os oponentes foram assim atingidos com golpes de mão esquerda que Cooper poderia acertar, com sua mão mais forte na frente, mais próximo do oponente, foi temido pelo seu gancho. E na sua mais eficaz esquerda, o gancho tinha uma trajetória ascendente do tipo uppercut. Um formidável jab esquerdo completou seu repertório ofensivo. Ele geralmente tentava forçar essa ação em suas lutas, e tinha êxito. Depois de desenvolver um problema de ombro esquerdo na segunda metade de sua carreira, Cooper ajustou-se para colocar mais estresse em socos canhotos que até então havia negligenciado, então ele trocou de base.

Ele lutou não só uma, mas duas vezes contra o gigante Ali

Cooper lutou duas vezes contra Muhammad Ali, quando ainda era conhecido como Cassius Clay. Na primeira luta sem disputa de título em 1963 no Wembley Stadium, Wembley Park. A mobilidade de Ali, os reflexos rápidos e a tática defensiva pouco praticada por outros pugilistas, de puxar para trás dos socos, fizeram dele um adversário frustrantemente indescritível. Nos segundos finais da quarta rodada, Cooper derrubou Ali com uma versão inclinada para cima do seu gancho de marca registrada, "Enry's 'Ammer".

Mas Ali levantou-se e começou a levar Cooper para o canto, como gritava Dundee para Ali (Dundee era o técnico de Ali). No início, Dundee falou para Ali movimentar as pernas, mas depois que Ali compreendeu e tentou sair do canto para voltar ao combate, Dundee usou sais cheirosos. E Dundee afirmou que isso abriu uma pequena lágrima em uma das luvas de Ali e disse ao árbitro que seu lutador precisava de um novo par de luvas, atrasando assim o início do 5º round. Cooper insistiu que esse atraso durou entre três e cinco segundos de acordo com a filmagem e que isso não o negou a chance de tentar nocautear Ali, enquanto ele ainda estava atordoado. As fitas da luta mostram que Ali recebeu apenas seis segundos extras, e as luvas não foram substituídas. Cooper começou o 5º round de forma agressiva, tentando aproveitar sua vantagem, mas Ali se recuperou efetivamente e retrucou, Cooper foi atingido no rosto com uma direita dura que abriu um corte severo sob o olho. O árbitro Tommy Little foi forçado a parar a luta, por causa do sangramento, e assim Ali derrotou o Cooper por nocaute técnico.

Após essa luta, um par de luvas de reposição sempre foi exigido no ringue. No 40º aniversário da luta, Ali telefonou para Cooper para relembrar. Em 1966, Cooper lutou contra Ali, agora campeão mundial dos pesos pesados, pela segunda vez em Highbury. No entanto, Ali estava atento ao perigo representado pela esquerda de Cooper e mais cauteloso do que ele estava no combate anterior, ele segurou Cooper em um aperto vice-like durante os remates, e quando disse para quebrar pulou para trás. O tecido cicatricial acumulado em torno dos olhos de Cooper tornou-o mais vulnerável do que na luta anterior, pois foi um corte muito sério que Ali fez em Cooper, o que levou a luta ser interrompida, Cooper novamente perdendo para Ali por nocaute técnico.

(texto traduzido e editado)


22 de outubro de 2020

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

Jornale: edson@jornale.com.br

             redacao@jornale.com.br

WhatsApp: (41) 8713-4418

Correio Paranaense / Jornal do Ônibus

comercial@jornaldoonibusdecuritiba.com.br

Tel. 41 3263-2002

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest