Se não é um marinheiro, não deve ter uma tatuagem. Era o lema de Lucky


Knud Harald Lykke Gregersen de Copenhague, viveu de 1928 a 1983, era filho de Jens e Ema Gregersen, em que seu pai era tatuador conhecido nas décadas de 1930 e 1940 na Dinamarca. Chegou ao porto de Santo no dia 20 de julho de 1959, apresentando-se como desenhista e pintor. O Arquivo Nacional ainda conserva sua ficha de registro de número 78655 na Delegacia Especializada de Estrangeiros. Morou na região portuária, na rua João Otávio, onde seus clientes marinheiros procuravam pelo seu trabalho, mas logo mudou-se para rua General Câmara, local no qual montou seu e primeiro estúdio de tatuagem do Brasil, com os dizeres "It's not a saylor if he hasn't a tattoo." Que significa, "Se não é um marinheiro, não deve ter uma tatuagem".

Na década de 70, a tatuagem começou a quebrar alguns tabus no Brasil e deixar de ser uma arte tão marginalizada, associada apenas aos marinheiros e prostitutas. Pouco a pouco foi chegando à classe média. A esta altura Lucky já tatuava muitos jovens, que exibiam suas tattoos, principalmente na praia, tornando-se muito popular.

Foram 20 anos de Santos, até que um dia um marginal desavisado, talvez sem saber que Mr.Tattoo era um dos protegidos da Boca do lixo, que resolveu assaltar o estúdio do artista. Ele ficou tão frustrado e revoltado, que simplesmente foi embora de Santos, montou estúdio no Jardim Suarão em Itanhaém.

Morreu em 17 de dezembro de 1983, no auge de sua carreira, com 55 anos, vítima de ataque cardíaco.

Sua filha Ana, na época com 20 anos e já tatuadora profissional, assumiu a responsabilidade de dar sequência ao trabalho de seu pai. Ana conheceu Bira e os dois companheiros decidiram que a tatuagem seria também o seu meio de vida e montaram um estúdio nos fundos do restaurante Energia na Avenida Washington Luiz, 64 e assim tatuaram por muito tempo na cidade de Santos e mudaram muitas vezes de endereço.


Curiosidades:


O dia 20 de junho ficou conhecido como “Dia do Tatuador' em homenagem a Lucky Tattoo, dia em que o artista nasceu.

Sua fama se espalhou pelo país e de todos os cantos apareciam aqueles que queriam ter o corpo marcado pelo dinamarquês, caso do surfista carioca José Artur Machado, o Petit, eternizado como “Menino do Rio” na canção composta por Caetano Veloso e interpretada por Baby Consuelo. Aquela canção justamente que fala do “dragão tatuado no braço”.


Lucky chegou a ir para a TV via satélite, nos programas de auditório de Flávio Cavalcanti e Silvio Santos. Virou curta-metragem exibido antes da sessão de cinema.


O Mr Tattoo contabilizou nada menos que 45.000 tatuados em 30 anos de carreira artística, 24 anos em território brasileiro.

Seu pai chegou a tatuar o rei dinamarquês Frederick III


Publicidade

Últimas Notícias

banner_300x250_V2_01_vacina_portais.gif

15 de Janeiro de 2021

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

   CONTATO:

         E-mail: redacao@jornale.com.br

         CEL: (41) 9.9978-9956

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest