Do circo para a tatuagem, a primeira mulher tatuadora


Você conhece Maud Stevens Wagner? Nascida no Condado de Lyon, em fevereiro de 1877 e falecida em 1961. Ela foi uma artista circense e a primeira tatuadora conhecida nos Estados Unidos.

Mauad era uma acrobata e contorcionista, trabalhando em diversos circos itinerantes nos Estados Unidos. Ela conheceu Gus Wagner, um tatuador que se descrevia como "o homem mais marcado artisticamente na América", na Exposição Universal de 1904, onde ela estava trabalhando como acrobata. Ela se interessou pela técnica da tatuagem e fe uma proposta para Gus, trocar um encontro romântico por uma aula de tatuagem, e um pouco mais tarde eles estavam casados. Tiveram uma filha, Lotteva, que começou a tatuar com nove anos e fez disso uma profissão.

Como aprendiz de seu marido, Wagner aprendeu como fazer as tradicionais tatuagens conhecidas hoje como "hand-poked", apesar da invenção da máquina de tatuagem. Ela logo se tornou uma tatuadora e juntos, os Wagner’s eram dois dos últimos tatuadores a trabalhar manualmente, sem a ajuda de máquinas de tatuagem modernas. Maud Wagner foi a primeira mulher conhecida a se tornar tatuadora nos Estados Unidos.

Após deixar o circo, Maud e Gus Wagner viajaram pelos Estados Unidos, trabalhando tanto como tatuadores quanto como "atrações tatuadas" em casas vaudeville, feiras e parques de diversão e circos de freak show.

A eles é atribuída a vinda da tatuagem para o interior do território americano, longe das cidades costeiras onde a prática iniciou-se com os marinheiros.


20 de outubro de 2020

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

Jornale: edson@jornale.com.br

             redacao@jornale.com.br

WhatsApp: (41) 8713-4418

Correio Paranaense / Jornal do Ônibus

comercial@jornaldoonibusdecuritiba.com.br

Tel. 41 3263-2002

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest